Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

Vivemos em um contexto atual em que os valores têm sido distorcidos, gentilezas, gratidão, amizades e atitudes de solidariedade não é visto com tanta frequência. Ao longo do tempo foi possível identificar que o “eu” predomina, pois a necessidade de se estar bem, nem sempre vem acompanhada com o desejo de ver o outro bem.

Todas essas questões são preocupantes, pois é a partir desta ótica que faz o individuo ser tornar individualista, onde sua maior preocupação é seu próprio bem estar. Mais o que fazer? Como mudar uma situação implantada pela mídia, pelos programas que incentivam a disputa a preocupação com o lucro e em se tornar popular?

Por mais difícil que seja não devemos perder a fé, é necessário acreditarmos em mudanças, ainda que alguns digam que a tendência é piorar. E para que mudanças ocorra deve-se começar por mudar a mentalidade e consequentemente a atitude. É através desta nova postura que se torna possível um novo cenário; e ele se inicia dentro do lar, no local onde trabalhamos, estudamos e passamos boa parte de nossas vidas.

Podemos começar construindo em nossos filhos, netos, alunos e comunidade em que vivemos uma mentalidade onde o ser seja mais importante que o ter, onde todas as pessoas têm o seu valor, e que cada um de nós temos como tornar o mundo um lugar melhor. Pode parecer algo romantizado, mais na verdade esse mundo começa dentro da sua casa, e no convívio com outras pessoas.

Mais como fazer?

Para o ser humano se tornar uma pessoa amorosa, cuidadosa e flexível, é necessário entender o seu lugar e o lugar do outro no mundo. Para entender o sofrimento do outro e se colocar no lugar é necessário desenvolver a empatia. Mais o que acontece na realidade é que aprendemos a longo prazo que cada um deve cuidar de si mesmo .

Compreender o outro, saber se colocar em seu lugar reconhecer suas necessidades e dificuldades, perceber o estado de espírito de cada um, contribui para o desenvolvimento pessoal. Se colocar no lugar do outro é algo que pode ser aprendido.

Podemos aprender isso através da pessoa de Jesus Cristo, ele não apenas se colocou em lugar do próximo, ele se colocou no lugar de toda a humanidade. Foi mais que empatia, foi amor incondicional por mim e por você, contudo ele espera também que não apenas sejamos gratos a ele pelo seu muito amor, ele deseja que vivamos este amor uns para com os outros.